Notícias
Indústria Cannabis | Processo
1. Matéria-prima

É aqui que a maior parte das análises de controlo de qualidade têm lugar.
Quer seja para posterior processamento interno ou para venda a granel da planta, é necessário analisar várias características da planta. Desde a simples inspeção visual passando pela análise de potência, dos terpenos, do teor em água, da atividade da água, dos pesticidas e micotoxinas, ou dos metais pesados são testes indispensáveis para uma correta avaliação do produto.

2. Moagem (aumento da área de superfície)

Passo importante na preparação das amostras para as análises, mas de redobrada importância tendo em vista o seguinte passo de extração.
Para que o tamanho de partícula não seja limitante para o processo de extração, é necessário reduzir o mesmo para valores otimizados. Tão importante como o tamanho obtido é a reprodutibilidade do mesmo, para que seja possível manter processos de extração eficientes e controlados independentemente dos batchs de moagem.

Soluções de Moagem (Laboratório e Produção) - veja AQUI

3. Extração do óleo em bruto

Com a adição de um solvente, os compostos de interesse são separados da matriz da planta. Dependendo da finalidade e do objetivo, a técnica de extração pode ser otimizada para extrair compostos específicos. Dos mais de 550 compostos que a planta de canábis pode conter na sua composição os mais abordados são os terpenos e os canabinóides. Destes últimos, embora estejam já descritos mais de 140, os mais preponderantes ainda são o canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC).

4. Winterização (precipitação a frio)

Do processo de extração advêm compostos como as ceras e as clorofilas. Para a produção de óleo, é necessária a sua remoção. Para levar a cabo a sua remoção é aplicado um processo de precipitação a frio, aplicando temperaturas de -40°C a -80°C.

5. Filtração

Imediatamente após a winterização onde as ceras e clorofilas precipitaram, é necessário um passo de filtração do produto, para as separar do solvente e restantes compostos.

6. Recuperação do Solvente

O filtrado obtido no passo anterior é constituído maioritariamente por solvente, onde as substâncias de interesse, canabinóides e terpenos, se encontram dissolvidos.
É necessário destilar o solvente e separá-lo do extrato, recuperando o solvente para posterior utilização. Os compostos de interesse, até aqui bastantes dissolvidos, são também concentrados.

Soluções de Recuperação de Solvente - veja AQUI

7. Descarboxilação

Chamado também de Ativação. Neste passo o extrato é aquecido a uma temperatura elevada, sobe agitação contínua para remover os grupos carboxilo das formas ácidas dos canabinóides, que não apresentam efeitos terapêuticos significativos. Nesta etapa, deve-se evitar a exposição do extrato à luz e ao oxigénio de forma a evitar uma descoloração indesejada.

8. Destilação Fracional

Poderá fazer-se mais um passo de destilação, tendo como objetivo um aumento da pureza do princípio activo. Esta destilação poderá ser feita sobe vaco profundo, ou utilizando um “wiped film evaporator”. Deste processo obtêm-se um destilado claro, com o princípio ativo num alto grau de pureza.

Contacte-nos agora e peça-nos toda a informação relativa a esta e outras soluções.
« voltar